28/01/2012

Assim é que se promove!

Os montalegresnses estão mais uma vez de parabéns pela forma eficiente como promovem a sua terra e os seus produtos, este vídeo já anda por aí a circular:



E já não é a primeira vez que os transmontanos de Montalegre se evidenciam nos média dando grande visibilidade e benefício à sua terra:



Infelizmente por cá os agentes de promoção da região não têm tido o mesmo sucesso nem conseguido a mesma visibilidade - mesmo quando comparados com uma vilazinha nos confins de Trás-os-Montes.
Por cá engarrafa-se ar - entre outras acções de criatividade e originalidade discutíveis e de impacto nulo na ecónomia regional.

A situação é tanto ou mais chocante quando pensamos que a cultura e os seus agentes deveriam estar ao serviço da promoção da nossa gente e da nossa terra, especialmente nesta altura de crise, desemprego e baixos salários.
Alguns destes agentes são mesmo autenticos priviligiados e deveriam por isso retribuir à sociedade aquilo que dela recebem ...

3 comentários:

Anónimo disse...

É preciso ter um gosto discutível afirmar ou deixar entender que gostava que a sua terra fosse promovida desta forma. Isto está ao nível de Pinhel e de Figueira de Castelo Rodrigo. Feiras descaracterizadas e crianças a cantar. Do pior.
Claro que se isto fosse feito com a Guarda meia dúzia de críticos de circunstancia já teriam desfeito qualquer boa intenção que houvesse e é essa a grande diferença.
Mas aproveito para sublinhar algo que subentendi. Na realidade tem-se feito muita cultura para consumo interno e com tantos críticos culturais e pensadores culturais deveriam aparecer mais coisas que promovessem de forma positiva esta terra. Já pouco se faz com impacto nacional - as Exposições são locais, quando muito regionais; niquices para as criancinhas que enchem e dão número, actividades de leitura, levar e trazer grupos de música e qualidade duvidáveis para traz e para a frente, livros e livrinhos para alimentar os egos dos amigos e acabou por aqui. Pode até ser política cultural mas não contribui para promover a Guarda em nada. Fica o ar da guarda, a feira de s. João, o galo do carnaval, porque para além da câmara que faz pouco os outros ainda fazem menos pelo distrito.
Um dia todos vão morrer pelo próprio veneno e nessa altura a guarda terá uma nova oportunidade de crescer e de se desenvolver, até lá alimentam-se as crónicas de escárnio e ri-se do infortúnio.

E disse...

Pois parece que aquilo foi "fraquinho" e de gosto "duvidoso" mesmo:
Aquilo esteve sempre à pinha e com a presença de António José Seguro, Teixeira dos Santos e do Víctor Baía entre outros.
Quanto ao facto de ser "descaracterizada" é uma afirmação absurda, já que esta feira se caracteriza exactamente pela triplicidade e pela genuinidade dos produtos e das gentes de Montalegre. Se não acredita em mim veja com os seus próprios olhos o sucesso e genuinidade da feira:
http://www.cm-montalegre.pt/showNT.php?Id=1709

Isto além das horas de publicidade gratuita nas TVs nacionais e na internet.

Os nossos patrícios deviam lá ir ver como é que se organiza e promove um evento de sucesso NACIONAL.

Anónimo disse...

A mim parece-me que se a Guarda se afunda é mais por aqueles que deveriam fazer alguma coisa não o fazerem, esses é que são os verdadeiros culpados e não os que estão a reclamar pela sua inacção e ineficiência e incentivar à mudança.